SEO para hotéis

O campo de batalha do SEO para hotéis

O foco deste artigo será explicar as particularidades do SEO para hotéis e as estratégias usadas no setor para melhorar o posicionamento no Google.

O discurso de SEO (Search Engine Optimization) é similar para qualquer tipo de negócio: jogue com as regras do Google, visando os três primeiros resultados, onde ficam a grande maioria dos cliques.

SEO para hotéis: SERPs do Google

A verdade é que SEO nada mais é do que tática. É uma guerra experimental em que alguns lances podem dar certo, outros muito errado. O importante é entender que uma prática comum de SEO para e-commerce pode não trazer o mesmo resultado para, por exemplo, uma pousada no interior de Minas.

O motivo é simples: SEO é conhecer o seu público-alvo. Mesmo no marketing para hotéis, o entendimento das personas é muito importante. Neste caso em particular, é o padrão de pesquisa dos viajantes que vai nortear sua estratégia.

Mas vamos pular logo ao que interessa. Eis o que você precisa saber de SEO para hotéis e algumas sugestões de como aplicar teoria na prática:

SEO para hotéis na prática

São várias as estratégias de SEO para hotéis. Vou listar algumas que considero fáceis de aplicar para quem está começando a estudar sobre SEO.

Além disso, também envolvem estruturar no site do seu hotel que, espero, já existam. Então, é uma questão mais de otimização do que estratégia de SEO.

1. Press-release e backlinks

Um fator muito importante para o posicionamento orgânico de um site é a força do seu domínio (DA ou domain authority). Alguns plugins, como o MozBar, o ajudam a verificar facilmente esse número.

Importância da autoridade do domínio

No gráfico acima, do Purpose Blogger, fica claro a relação (n° de sessões) x (autoridade do domínio). Quanto maior o DA, maior o tráfego.

Uma das maneiras de aumentar esse indicador é através dos backlinks. Em se tratando de SEO para hotéis, existem duas formas de fazer isso: press-release e parceiros.

Quando alguém, seja um portal de notícias ou um blog de viagens, mencionar o seu site + link (isso é importante, não adianta se for apenas o nome) você ganha um backlink. Pense neles como figurinhas de um álbum. Colecione o máximo que conseguir!

2. Vídeos e tempo na página

Se você fosse ao cinema e nos primeiros minutos do filme, as pessoas começassem a levantar e ir embora, a que conclusão você chegaria? Que o filme é ruim, certo?

O Google faz o mesmo e uma boa forma de manter o tempo de permanência alto é através de vídeos. Na verdade, qualquer conteúdo dinâmico que prenda a atenção do viajante, como mapas 360° ou chats de conversa.

Quando comparamos o tempo de permanência entre a Booking e um dos maiores resorts do Brasil, você tem esse número:

Tempo de permanência na página da Booking x Resort

Ou seja, mantenha o tempo de permanência alto, crie um caminho de navegação que faça sentido e, mais importante, prenda a atenção do viajante!

3. Imagens e tempo de carregamento

Você já deve estar cansado de ouvir que as fotos no site precisam estar em boa qualidade, que precisam ser visualmente atrativas, etc…

Mas em SEO para hotéis, existem outros detalhes que impactam o tráfego orgânico, como o tamanho da imagem (em mega bytes) e o título.

É importante que o tamanho seja o menor possível. Os megas adicionais vão afetar o tempo de carregamento da página, que não pode passar dos 3 segundos.

Já sobre a descrição, o fato é que imagens também são indexadas no Google e geram tráfego para o site do hotel. Por isso, nunca salve uma foto como “nomealeatorio.png”, que você vai estar indexando essa imagem para a palavra-chave: nome aleatório!

Sempre que enviar uma imagem para o site, lembre-se do título, do texto alternativo e da descrição.

Tráfego orgânico e SEO para hotéis

Hoje em dia é obrigatório que qualquer meio de hospedagem tenha uma estratégia digital, inclusive de SEO. A questão é o seguinte:

De acordo com a distribuição de tráfego no Google, em média, o 1° resultado recebe quase 5x mais cliques que o 4° colocado.

Posição 10°
Cliques (%) 32,58% 16,69% 10,34% 7,24% 5,27% 3,93% 3,02% 2,35% 1,86% 1,53%

O problema é que esses número são de 2013. De lá pra cá muita coisa mudou na organização de resultados.

SEO para hotéis: resultados de busca no Google

Agora, competir pela primeira posição orgânica não é tão simples. Por mais que você esteja entre as 3 primeiras posições, pode ser empurrado pro final da página pelos resultados pagos e do próprio Google Hotel Search.

A ideia aqui é otimizar cada uma das palavras-chave que mais refletem a estratégia do seu hotel. Cada termo pesquisado tem vida própria, logo, estratégias de SEO específicas.

Competir contra o orçamento bilionário das OTAs para estar no topo das pesquisas pagas é praticamente impossível para hotéis independentes. Por isso, o SEO para hotéis continua relevante.

Além do que, seus números nunca serão tão expressivos quanto os de uma grande rede hoteleira ou da Booking. Mesmo assim, otimizar cada palavra-chave vai fazer com que o tráfego orgânico no site do hotel dê um pulo explosivo.

SEO para hotéis x OTAs

A competição pela primeira posição no Google entre OTAs x hotéis

Eles estão na primeira posição paga e, como se não fosse o suficiente, estão no topo dos resultados orgânicos. As OTAs estão em todos os lugares!

Como bem explica Sean O’Keefe em artigo para o Think With Google, existem várias formas de trazer tráfego para o site do hotel. Além dos motores de busca, o mais comum são as redes sociais, mídias pagas e até mesmo pelas agências de viagem online.

Sim, parte do tráfego do seu site vem das OTAs! Porém, ao contrário do que se acreditava, o Billboard Effect está morto. Os viajantes que visitam o seu site depois de conferir o preço na OTA, não reserva no seu site.

  • Viajantes que visitam exclusivamente o site do hotel: 10%
  • Viajantes que visitam exclusivamente sites das OTAs: 60%
  • Viajantes que visitam os dois tipos de sites: 30%
  • Portanto, foco no futuro! A partir de agora, uma combinação de canais de tráfego bem balanceada é a sua meta.

    As mudanças no algoritmo do Google e seu impacto na hotelaria

    Essa é a parte relativamente fácil. O SEO para hotéis têm todo um lado mais técnico, para os mais experientes no campo. Mas investir um tempo na parte técnica vale a pena.

    Por exemplo, o time de SEO do Google Meu Negócio, estudou o tráfego orgânico do site e estabeleceu algumas adições de SEO. O resultado foi que o tráfego aumentou progressivamente, como explica Sean O’Keefe para o Think With Google.

    Algumas dessas adições de SEO foram:

  • Tags canônicas: mostram aos motores de busca quais URLs você tem interesse em indexar;
  • Site maps: organizam para os motores de busca como o conteúdo do seu site é organizado;
  • Páginas AMP: otimizam a performance de páginas web no mobile.
  • Esta última é muito importante e tem sido foco do Google há um tempo. Quem nunca acessou um site pelo celular e se deparou com um monte de problemas técnicos que não existiam na versão para desktop?

    Para isso existem as páginas AMP, ou accelerated mobile pages, são essenciais já que 51,3% dos acessos à internet são através de dispositivos móveis. Essa porcentagem cresce ano após ano, de acordo com a Stat Counter.

    Páginas AMP para otimização mobile

    Quando foram consertados os problemas relacionados às AMPs, a página do Google Meu Negócio aumentou em 200% o número de impressões. Você pode verificar a performance do seu site no Google Search Console.

    Por que aumentar o tráfego orgânico é importante para o seu hotel?

    Porque o tráfego orgânico para hotelaria é tão importante? Já falamos sobre fatores que impactam as taxas de conversão no site do hotel, e o volume de visitantes tem papel primordial nessa taxa.

    Mas tome cuidado: aumentar o tráfego sem uma macro estratégia pode ser um tiro no pé. Ao invés de ver as taxas de conversão aumentando, podem cair drasticamente.

    Para acabar positivamente, lembre-se: Até o Google erra, então seja justo consigo.